Humm... A terceira deve ser de vez...




A sorrir faço mais uma pausa neste espaço...
(Confesso que não sei se por breves minutos...(sorrindo)...)

Mas por vezes é necessário "sair-mos" ir até "lá fora"...Espairecer...
Eu não vou "Parar"...Pelo contrário, quero ao menos "Tentar" submergir-me nas tantas coisas que tenho e preciso fazer...
Vou dar-me um tempo, não tem dado para transmitir tranquilidade, serenidade nas palavras que aqui tenho colocado, têm sido assim os meus sentires...
Por isso... Eu já volto... Não vou demorar... (sorrindo)

...




(Há músicas que nos "cantam"...)

...

Demência...

Foto de: ABrito




Ruídos...
Ecos de palavras ocas...
Apertos suspensos no vazio desmedido...
Odores de lembranças...
Atitudes ineficazes...
Marulhada de sentires...
Tempos perdidos...
Quimera de sorrisos...
Delírios da minha alma...

Uma pausa na tranquilidade...

Foto de: ABrito
Tentando dedilhar algo que não espelhe dor...
Possível? Não, hoje não é possível...
Deixo sair o que sair, numa tentativa de soltar tudo o que está cá dentro a corroer
Âmago em pranto, rosto humedecido pelas lágrimas que caiem sem que eu as chame
Limites? Talvez eles estejam a chegar sem que eu possa mais travá-los
Impotência? Também, não sinto mais força para continuar a ocultar, continuar a tapar os malditos sentires que me perseguem...
Culpabilização? Sim, como olhar o céu e nele nada ver, sentir um vazio imenso, olhar-me e ver um outro Eu!
Chove lá fora? Então a culpa é minha! Eu deveria conseguir fazer a chuva parar!
Eu deveria sempre conseguir fazer sorrir quem me rodeia...
Eu preciso estar sempre bem, eu não posso deixar que me sintam caída no buraco, as minhas dores são somente minhas!
Não posso desfazer os nós que ocupam todo o espaço das minhas entranhas... Não posso soltar os gritos calados que vivem em mim...
Não tenho o direito de fazer chorar, quando eu e só eu posso fazê-lo, o peso do mundo já não me pode custar, sempre consegui suste-lo em meus braços...
Porquê agora toda esta debilidade?
Esta fraqueza sem direito de existir!
Medo? Muito não sei se saberei lidar com o inicio de um fim, o fim da máscara que tenho vindo a suportar!
Eu só queria tornar tudo mais fácil!

...

...

Foto de: Nuno Belo
Olho-te
Desejo-te
Beijo-te
Palpo-te
Sinto-te

Perco-me
Encontro-te
Tocas-me
Sinto-me




Abraçamos-nos
Desejamos-nos

Sonhamos
Voamos
Sorrimos!

Haja o que houver...





Porque acalmas no teu mar manso a minha intranquilidade
Porque me completas no desejo insaciável
Porque me sossegas o âmago em pranto de saudade
Porque sofremos de um amor incontrolável

No sentir do peito palpitar
No respirar ofegante de cansaço
Estás aí onde tens de estar
Na realidade dos meus sonhos, no meu regaço

"Eu sei...quem és, pra mim...
Haja... o que houver
Espero por ti..."

Beija-me num sonho
Chama meu nome no nosso leito
Sente meu corpo suave
No despertar do teu amanhecer de solidão sem jeito

Sereno sentir...





Às vezes
Por mais que nos custe
Por mais que nos doa
Por mais que não aceitemos
As dores
As lágrimas
As mágoas despejadas em nós
As revoltas fustigantes
Têm todo o significado de existirem
Porque depois de todos estes sentires sufocantes
A tal bonança chega
As nuvens cinzentas dão lugar às imaculadas
Em nós, volta a fazer-se sentir a acalmia
A serenidade
Os sorrisos começam a surgir como que espreitando por entre as lágrimas que se despedem de nós
O sol a cada instante reacende num brilho estonteante
Em momentos de dor
Meu peito enche-se de uma mágoa tremenda
Ganho uma vontade enorme de virar o mundo do avesso
Consome-me a loucura de uma revolta incontrolável
O céu parece querer engolir-me
O vazio fecha qualquer porta que eu possa imaginar
O sufoco toma conta de todos os meus sentidos
Perco-me debilmente nas ruas recônditas do meu próprio Eu
Mas...
A luta tem de ser constante
Não tenho o direito de queimar o oxigénio essencial aos que me rodeiam
Em momento algum posso deixar que as minhas inquietações possam incutir mau estar a quem me gosta
Nas solidões em que muitas vezes (e tantas vezes) o meu âmago se aninha
Não posso deixar que alguém me acompanhe
É na verdade fundamental que alguma mão tente alcançar a minha
Ainda que não saiba o quanto me faz falta nesses instantes
Mas não posso deixar que me sintam em baixo
Não posso deixar que me sintam caída no buraco
Buraco esse que me atormenta
Que me faz deambular num labirinto sem uma saída visível
Tenho de palpar, de cair mais uma e outra vez, de esfolar os joelhos, de sangrar às vezes demais, para encontrar o caminho correcto
O caminho que me leva de novo ao cume da montanha, que me proporciona uma visibilidade sublime deste mundo que me tira tanto, mas... também me brinda com tantos momentos de uma beleza estrema!

:)

Delírio...

Desconheço autor da foto.



No delírio do choro manso
Na loucura dos sentidos
Sacudo meus bolsos cheios de nada

Olho no vazio à minha frente
E meus membros vergam
Neste chão pétreo, me deixo cair

Numa tentativa de olhar o céu
Meus olhos cerram
Neste escuro medonho, me deixo ficar

Ouço sons lá longe
Sinto presenças distantes
Neste declínio de forças, me deixo adormecer

Quando o tempo funesto passar
Grita meu nome, toca meu rosto
E se eu não me mover, foi porque adormeci para sempre, cansada de esperar!

Desabafo...

Foto de: Anne Guedes



O tempo avança
Numa tentativa de bom sentir, sorrimos, cada um para seu lado...
Os muros caem
Os alicerces de uma vida, tremem...
A constante lembrança de um momento que durou trinta anos
Sobrevoa o pensamento
O âmago sufoca num aperto imenso de saudades
Os olhares cruzam as lágrimas derramadas em rostos que mostram a sua fragilidade
Os abraços não voltarão mais a ser sentidos num quinteto
Os silêncios vencem cada etapa, cada manhã sentida por ti numa solidão que te consome...
Por mais que a tua força exista, a exaustão, o cansaço dos sorrisos que escondem a vontade de chorar, inibem o teu lado sereno, a tranquilidade que te conheci...
Que posso fazer por ti?
Com que mais palavras posso eu abraçar-te?
Que conforto poderei eu dar-te?
Para te libertar dessa nódoa que travou a melodia da tua vida...
Procuro em mim, no meu íntimo alguma força para que consiga pegar-te em meus braços
As dores que vivem nas tuas entranhas, são sentidas em mim num nível muito mais fustigante
Pois não tenho como medir os teus sentires, e assim vivo esta revolta à minha maneira...
O mundo quando cai nos nossos ombros parece até, que estilhaça cada pedaço de nós
Nesta minha fraca agilidade em te consolar, sufoca-me, submerge-me a alma a tal ponto que sinto um vazio desmedido "aqui" dentro...
Onde os sentires se confrontam, onde a penumbra se instala, e de onde eu não consigo sair...
Nunca em momento algum da minha vida, interroguei as minhas capacidades de aceitação, nas decisões que me transcendem...
Hoje contraditoriamente, olho-me, toco-me, sinto-me e vejo em mim um ser que desconheço a cada dia mais...
Quando alguém não está feliz, deve procurar a felicidade! Isto sentia eu! Eu consumia estas palavras sem qualquer sentimento de compaixão...Ninguém tem de estar infeliz, ninguém o merece...
Num acto de rebeldia, de revolta, de incompreenção, de egoísmo... Chego a sentir mesmo uma infantilidade irritante em mim...
Os protagonistas dessa infelicidade são os Seres que me ofereceram ao mundo...
E são eles que "despejam" numa "contena", são eles que "sepultam" trinta anos de momentos com altos e baixos, de lágrimas e sorrisos, de discussões e abraços, de ternuras e amor que sempre existiu, que eu sempre senti, foram eles que me incutiram todo um misto de sentimentos que definem o meu Ser, que dão imagem ao meu interior...
Baixo meu olhar, e deixo que o tempo continue a avançar! Num silêncio preso nas lágrimas que assolam cada sentir, cada pedaço de mim!
Eles nunca mais vão conseguir regar os três canteiros semeados num amor que hoje, não sabe mais como vingar!

Tranquilidade a momentos...

Foto de: ABrito
O sol desapareceu
A noite cai
Tu chegas perto
Por entre sonhos
Colo-me a ti
Num beijo suave
Num abraço apertado
Numa caricia de desejo
Sinto o calor que teu corpo emana
O cheiro que teus poros transbordam
A suavidade da tua pele
A doçura da tua saliva
Sinto-me perdida, em ti me encontro
Os teus sussurros acalmam a intranquilidade do meu fim de dia!

Nós...

Foto de: Kazuo Okubo



Ao som da chuva enrosco meu corpo no teu
Aninho minha cabeça no teu peito
Afago com as pontas dos meus dedos o teu rosto

Perco-me na doçura dos teus beijos
Na tua saliva mato minha sede
Com o teu cheiro enlouqueço de desejo

Na demência dos sentidos me deleito
No teu saber amar me deixo levar
Num sussurro de prazer me entrego

Suave, calmamente te sinto
Exploras minhas entranhas
Veneras meu corpo que é teu

Este quarto exala a fusão dos nossos aromas
Prova os sabores que nossos poros emanam
E nós... Saciados... Deliciados... Sorrimos e adormecemos num sonho que é nosso!

Solidão...

Foto de: ABrito
Receio-a,
Apavora-me,
Amedronta-me
Jamais seria capaz de viver nela
Daria tudo para nunca a sentir
Mediria o céu a palmos
Roubaria um raio ao sol
Para nunca deixar que o luar me brindasse na solidão
Olho em meu redor
E peço, suplico que o tempo nunca te roube de mim
Quero-te aqui do meu lado sempre
Quero sentir o som do teu respirar
A doçura da tua voz
Até que os meus movimentos se sosseguem na eternidade...

Quero sentir intensamente cada momento
Aqui contigo, do meu lado até ao infindo do tempo!


A tela...

Foto de: ABrito



Entreguei-me a esta saudade...
A este momento em que me perco na melancolia
A esta vontade imensa de voar
Onde os medos e os receios se desprendem de mim
Procuro um saber
Um sentir que defina o que sou...
O que quero
O que procuro verdadeiramente
Esta incessante busca em discernir a pureza dos sonhos
A magia que me proporcionam estes voos constantes
Viajo pela insanidade dos meus desejos...
Adormeço na quietude que o meu imaginário alcança
Desperto as cores que me inebriam
Pinto na tela do meu Eu as imagens que toco
As formas e tecidos que um dia abracei verdadeiramente
O corpo que possuí e decalquei em mim
Entreguei-me a esta saudade...
Chorei, tentei livrar-me deste sufoco que me debilita a alma
Beijei minha pele no devaneio de sentir teu sabor
Procurei em vão alento para este sentir
Deixo a tela inacabada...
Falta pintar os cheiros...
Os sabores...
O toque dos teus dedos na minha pele!



(memorias minhas) :)

Fusão...

Noite
Brisa suave que me afaga o rosto
Sonhos
Que me levam a ti
Sentires
Que partilho contigo
Abraço
O teu que me acolhe
Sorrisos
Que nos elevam a alma
Desejos
Que nos conduzem ao beijo
Arrepios
Que nossos corpos unidos produzem
Suavidade
Num sussurro que pronunciamos ao ouvido
Amor
É querer-te, é gostar-te, é desejar-te, é possuir-te, és tu, sou eu, é a fusão de nós dois...
Somos como barro nas mãos do oleiro, moldando-nos a cada dia, modificando-nos, sempre tentando a perfeição, melhores, mais unidos, mais preparados, seres insaciados, procurando a cada instante uma maior grandeza de sentires...




(Foto de: Nuno Belo)

Sorrio...

Foto de: Flavia Bomfim




Acendo um cigarro...

Paro num sorriso, ao olhar o sol que brilha lá no alto, num céu azul claro e "salpicado" de nuvens brancas que fazem lembrar algodão...

Penso na beleza que me rodeia, na quem sabe sorte, que me tem brindado em dias de tranquilidade, de afagos, de puro entendimento comigo mesma e com o mundo que me assume...

Só me chega à lembrança momentos que me fizeram sorrir muito...

Agradeço ao sol por me dar energia, por me fazer sentir viva e disposta a ultrapassar tudo o que, bem sei que ainda fará dançar algumas lágrimas no palco do meu rosto...

Olho em redor de mim mesma e não me sinto só...

Sorrio...

E quase posso sentir o brilho nos meus olhos, brilho de alegria, por te saber aí, por te sentir aqui do meu lado...

Estranhamente... Toco meu rosto com as pontas dos meus dedos... Percorro a minha face como se estivesse tocando a tua...

O telefone tocou... Quero lá saber...

São momentos tão escassos em que me sinto "grande"... São momentos tão sublimes em que gosto de "vestir" a minha própria pele... Que tenho vontade de ficar aqui assim... O dia inteiro a olhar o infinito... A agradecer por me sentir simplesmente bem, sorridente, calma, tranquila, serena, disposta a concordar comigo mesma!

Opsss... O telefone tocou outra vez... É melhor ir mesmo atender...

Sorrio, talvez quem estiver do outro lado do telefone vai sentir que estou a sorrir... E... é bom, não é?

:)

E porque hoje me sinto assim...

Foto de: Bernardo Coelho




Hoje sinto em mim a beleza...

A lua e o sol
O meu olhar...


A terra molhada, a chuva
A minha serenidade...


As nuvens
Os meus sonhos...


O mar e os pássaros
O meu sentir...


Tocam arpas,
Soam notas do piano velhinho
Melodias deslumbrantes
O meu sorriso...


O campo, as flores
A minha fragrância...


As ruas e as gentes
A minha vida...


(in memorias minhas) :)


...

E porque sei que me pensas...
E porque sei que me sentes como eu a ti...
E porque sei que ambos "voamos" no mesmo sentido...
E porque as recordações não deixam de me alimentar o ego...
E porque... porque...

É para ti :)


Noite





Noite fria que me abraça

Me embala, me prende no seu escuro...



Vento que sopra na minha face

Me esfria, me acaricia...



Luar de aromas inigualáveis

Que me ostenta a sua luz...



Muro que me suporta

Me ampara, me resguarda...



Lágrimas, sorrisos

Reflexão, leveza...



Soberbo momento em que quis estar só comigo mesma!




(memorias)

O Amor...

Foto de: J.P.Sousa




O Amor não tem explicação...

Não é previsível...

É uma visão do estado mais puro da alma...

É inconstante...

É irracional...

É a mais bela forma de partilha...

É o darmos-nos sem nada em troca querer...

É o ponto fraco no coração do mais forte...

É o reflexo do meu bom sentir...

O Amor...

É o êxito do mais fracassado...

É a solução magica dos mais audazes...

É o ânimo dos moribundos...

Amor é o brilho do teu olhar...

É a mais simples forma de agradecimento...

Amor pela vida...

Amor pelas pessoas que nos rodeiam...

Amor pelos seres vivos que nos fazem sentir com vida a nós mesmos...

Amor pelo simples facto de respirarmos...

Amor não se procura...

Amor não se ensina, nem se aprende...

O Amor...

É saber estar bem...

É esperança...

É leveza...

É ter asas para voar...

É sonhar acordado...

É uma queda livre...

É deitar com mais vontade de acordar na manhã seguinte...

É a loucura que te faz sorrir...

É quando cantas mesmo sem saberes a letra...

É quando te interrogas pelo céu ser azul...

O Amor...

O Amor é tudo o que te faz feliz!



(Fev.2007)

Um sorriso de Jasmim...




Mais um desafio...

A querida Andrea, andou a ter umas ideias... Mais um desafio para o mundinho dos blogs... O desafio consiste em:

.Escolhem 5 pessoas (que coisa é sempre o 5 que anda na baila, porque não um outro número qualquer?!?) que costumam comentar muito...e revelam a importância que elas têm no vosso cantinho... Essas mesmas 5 pessoas terão que fazer o mesmo no seu blog...
Coisa simples :) !

Nomeio então...

.O querido Wild- (podes mesmo cumprir-te na nomeação da Andrea, pois não sou exigente!) rsrsrsr Foi ele o primeiro a "estrear" a caixinha de comentários deste espaço!
E sem os comentários dele este blog perde algum sentido! É um doce, é um Amigo que tem sempre uma palavra de carinho, brinca e é doido, e como os doidos se entendem... Pois quero-te aqui :O)

.A minha doce, meiga, lindérrima e amiga Kakauzinha- (já li que me nomeaste também, opa se não te importas cumpro-me aqui e agora! rsrsrs) És sei lá, és tudo o que já disse inúmeras vezes, uma querida amiga! Estás aí, há já algum tempo que te sinto aí! Contigo rio até não poder mais, contigo choro, e sei lá...palavras para quê!!! Gosto-te!

.A doce Um Momento- Pela sua ternura e carinho, pela sua beleza nas palavras, por me fazer sentir que também está aí! *

.Querido Excelsior- Pois é também estás neste desafio, tu que és um querido, que num espaço tão curto de tempo me levaste a sentir um carinho imenso por ti, uma amizade, um querer bem! Pois és mais uma presença importante aqui neste "enredo" de palavras, nesta doidice de sentires! (Andas meio ausente, mas acredito que daqui a nada voltas mais disponível e realizado :), confio-te!)

.Docinha Olny me- Pela simpatia, pela presença que se tem revelado constante, por gostar também de a sentir aí! (não é nenhuma "vingança" rsrsrs é de coração!)

E como é natural menina Andrea, não fez parte da minha lista de nomeados pelo facto de ter surgido daí esta ideia, e sendo nomeada por mim agora, entraríamos numa roda viva de "perseguições" hihihihih mas sinta-se da mesma forma importante neste espaço, pois um "passarinho" com asas tão coloridas só traz a este espaço uma grande vontade de voar!

Qualquer palavra que alguém possa deixar por aqui é uma "lufada" de frescura, uma brisa morna, um sorriso que eu partilho!

Ficam ainda de fora pessoas que fazem há muito parte desta "caminhada" O meu doce padrinho mai lindo (Na Sombra da Lua), A minha Amiga (Amar Em Silencio) que tão bem me entende, que me sente, que eu sinto que... (tu sabes tudo o que te penso)!
E claro os restantes das minhas "Boas Leituras" que se estão "ali" é porque também os gosto :)

Um sorriso e um beijo preso nas asas de um sonho...


O desafio da página 161 ...





Aqui estou eu a cumprir mais um desafio da querida Andrea (do blog Pequeno Mundo De Letras)... tardei a "cumprir-me" e hoje domingo, dia sei lá... dado à melancolia... às recordações... Peguei o livro mais colorido da prateleira, o mais "velhinho", o mais usado... Um livro que fez parte de alguns anitos da minha infância, onde me proporcionou momentos de imensa ternura quer com a minha Mãe, quer com o meu Pai... Antes de ir dormir sempre foi hábito (ainda hoje é com o meu filho) contar uma história... Muitas delas eram da pura imaginação dos meus Pais, outras do livro " 365 histórias de encantar... um conto para cada dia do ano..."

Então na página 161 e na 5ª linha diz assim:

"- Tónio! Tónio! - Chamava logo a seguir a mãe. - Vai depressa buscar-me lã para tecer."


Esta 5ª linha pertence ao conto do dia 3 de Setembro, deste livro de "encantar" que me acompanha desde os 3 anos de idade, se ele "falasse" pois teria tanto para revelar... Momentos de ternura, em que os meus pais tentavam numa doçura imensa brincar com as vozes, dando vida a simples histórias, confesso que muitas vezes chorava para que eles lessem o livro inteiro na mesma noite... Outras tentavam eles lerem-me um conto deste livro a qualquer hora do dia quando eu estava nos meus momentos de birra!

Enfim! Acabo por vos dar a conhecer mais um pouco de mim! :)

Regras do desafio:

Olharem para um livro, abrirem esse livro na página 161 e transcreverem a 5ª linha da mesma página e desafiarem 5 pessoas...
Mas não vale batutices! Não podem escolher o livro nem a frase... Olhem e peguem sem escolhas :)

E eu nomeio...

A minha doce Kakauzinha http://lakakau.blogspot.com/

O meu querido Excelsior (tens todo o tempo do mundo) http://transwarpdrive.blogspot.com/

A docinha Um momento http://somomentos.blogspot.com/

A simpática Only me http://godmakemegoodbutnotyet.blogspot.com/

e... como é óbvio...

O meu doce WildMindMan http://wildmindman.blogspot.com/ (só para o "entalar") rsrsrs


"AndreIa" este já está!! rsrsrsr
Um sorriso em cada um dos "meus" docinhos! :)

Memórias que fazem todo o sentido...

Foto de: Nuno Belo



Senti...
Fechei meus olhos só para te sentir...
Na minha pele senti teu perfume...
Na minha boca o beijo que saciou a sede de ti...
Nas minhas mãos a suavidade do teu tecido...
No meu peito a serenidade do quanto é bom ser tua...

Senti...
Porque me deu uma saudade imensa...
Porque quis que o sonho me prende-se a ti...
Porque me dás segurança quando estás presente em mim...
Porque é estonteante este amar...

Senti...
Para estar feliz num só momento...
Para desfrutar do teu corpo...
Para sentir que amar é o único sentimento que nos conduz a voos sublimes...
Para saciar este vazio que deixaste em mim...

Senti...
E quero sempre sentir-te quando a saudade estrangular meu peito...
Quando as lágrimas percorrerem meu rosto...
Quando o desejo invadir minhas entranhas...
Quando sentir necessidade de ti,quero voar nestes sonhos que me pertencem...

(Maio.2006)

A ti...

Foto de: ABrito
Sentada na varanda
Acendo um cigarro
Olho a noite calma
As estrelas lá bem altas
Esta brisa fresca que me envolve
Este meu estado de espírito
Dá-me asas para voar até onde eu quero ir
Sonho-te
Pego em ti e voamos
Sinto-te aqui bem perto de mim
Este meu sorriso a ti o devo
Esta minha tranquilidade a ti se estende
Continuando aqui...
Fecho meus olhos
Respiro fundo
Saboreio este momento
E penso-te
Abraço-te
Beijo-te
Tens-me valido tanto
Será que te mereço?
Não quero a resposta
Não me importa esta noite
Quero ficar aqui
Aproveito este momento
Sorrio-te
E sinto-me viva em ti!

Hoje...

Foto de: Carlos Carpier




Hoje no meu olhar
Estrelas que cintilam
Sorrisos que me embalam
Asas que me elevam num voo encantador
Palavras que me cercam e me afagam
Melodias que me despertam o bom sentir
Hoje sou do vento que me levar
Sou do sol que me aquecer
Sou da liberdade que me sossega
Parto no imaginário
Sobrevoo os mares de sentires
Palpo as recordações mansamente
Fecho os olhos...
Sorrio...
Deixo-me estar aqui assim...
Porque me sinto bem!



Se eu fosse...





Bem querida Andrea aqui está, tardou mas chegou!
Cumprindo um dos desafio da Andreia depois de algumas ameaças! (rsrsrsrrs)...

Seu eu fosse uma árvore - seria um eucalipto... encanta-me o aroma, é refrescante...

Se fosse um símbolo químico - seria P (fósforo) porque é um dos essenciais, porque é uma substância reagente...

Seu eu fosse um animal - um papagaio, porque fala, porque chega a ser irritante, porque tem asas, e gosta de companhia ...

Se eu fosse uma música - teria de ser todos os dias uma diferente, enjoo a rotina

Seu eu fosse um carro - um jipe, confortável, bem sofisticado, seguro nos caminhos menos acessíveis a carros mais baixos ...

Se eu fosse uma palavra - seria "regra" para a quebrar, detesto ter de cumprir regras (mas ainda assim sei que algumas têm mesmo de se cumprir)

Se eu fosse um gesto - seria um beijo, porque não me imagino sem eles

Seu eu fosse uma profissão - seria a que nunca cheguei a realizar pediatra, amo crianças e poder "tirar-lhes" as dores seria para mim estonteante

Se eu fosse um livro - um dicionário chinês-português, tantas vezes me falam que mais parece chinês, assim seria mais fácil entender

Se fosse uma estação do ano - seria inverno num dia de sol, porque gosto da claridade mas o frio dá-me mais energia

Seu eu fosse uma figura mítica - opá só poderia ser Afrodite (hihihihih ai o amor!!!)

Se eu fosse uma comida - uma açorda sem dúvida, com bastantes coentros

Seu eu fosse uma personagem de um conto seria - Heidi, pela liberdade, por andar descalça nos lindos Alpes suíços, pelo contacto com a natureza e pela sua doçura que acabou por "domar" a rudez do avô... (sempre gostei da Heidi, pronto!!!)

Seu eu fosse um líder - seria na certa qualquer um, mas falhado! Não tenho a mínima pachorra para liderar, nem o sei fazer

Se eu fosse uma peça de imobiliário - uma cama enorme, porque sem descanso ninguém pode sentir-se bem

Seu eu fosse um elemento da natureza - seria um relâmpago, apenas para os entender, amedrontam-me, apavoram-me, Brontofobia mesmo!



Um beijinho Andrea :)

Querido amigo Wild...

Beijo-te docemente não com a beleza do "Porto Sentido" mas com a doce tranquilidade de um outro "Porto... o Côvo"

Bom regresso ao trabalho amigo!


Até já...



DANDO-ME UM TEMPO...
QUANTO? PARA QUÊ?
POIS, NÃO SEI...
TALVEZ PARA ESQUECER QUE HOJE TIVE SAUDADES... MUITAS SAUDADES...


Volto logo... Continuarei a ler-vos, a sentir-vos... E a "deixar-vos" a doçura de um beijo!
;O)


Mãe...

Desconheço autor da foto.
Lembrei teu doce tocar... E doeu forte, dói...
Sonhei acordada com os teus beijos doces e "repenicados"... E como dói tanto...
Precisei tanto de ti nestes últimos tempos... E sei, sinto que continuarei a precisar-te, como dói...
Olhei o vazio, e desejei tanto que o preenchesses... Como sinto forte esta dor...
Pergunto-me constantemente se me pensas, se me sentes a falta da forma que sinto a tua... Saberás o quanto me fustiga?
Perco-me tantas vezes e sempre com o desejo de ser "encontrada" por ti... E dói tanto quando "todos" me estendem a mão menos Tu!
Onde estás? Faz tempo que nada de ti sei... Tento "friamente" não te saber se bem ou mal... Será que também choras?
Ainda te lembras como eu "cheiro"? Ainda te lembras do timbre da minha voz? Se soubesses como ainda está entranhado em mim o teu aroma... Se soubesses como "grita" dentro de mim a tua voz...
Dou por mim tantas e tantas vezes a querer sentar-me no teu colinho... Sentirás falta de me teres nos teus braços?
Acordas também durante a noite parecendo que me ouves, assim como eu?
Tanta pergunta, para as quais não obtenho resposta!

"Corrói meu âmago...
Uma saudade inquieta
Um despertar para o tempo que ficou lá atrás...
Mais uma lágrima que dança no palco do meu rosto...
Um aperto quase sufocante...
Um grito na voz calada que fustiga as minhas entranhas...

E tu não estás aqui...

Prendem-se meus pés
Deixo de caminhar
Olho e sinto o céu escuro, pesado, intensamente medonho...
Quero saber como sair daqui
Quero descobrir o brilho das estrelas
Quero sentir o salpicar das ondas nos meus sorrisos...

E tu... Tu não estás aqui..."

Vem...

Foto de: ABrito


Sopra no meu rosto... brisa morna
Acaricia minha pele... com os beijos doces dos teus lábios
Acalma meu âmago... no encanto dos teus sonhos
Leva meu fustigante recordar... para o infinito dos sentimentos...