Saudade...




Cerro suavemente os meus olhos...
As imagens afagam a minha alma
A vontade imensa dos beijos perdidos no tempo destroçam meu peito ofegante
Estás tão aqui, pareces tão perto mas intocável
A voz ecoa no silêncio das minhas palavras
Meu âmago procura a acalmia
Na noite que me embala, no brilho das estrelas que cintilam no vasto céu
Te encontro, te sinto, te beijo...
Percorro o manto negro, descalça, apressada, como se estivesses logo ali, onde a estrada termina e o céu nela parece tocar...
Um lágrima desce pela minha face...
Volto a sentir que só a saudade me abraça!

5 comentários:

kakauzinha disse...

Seria tão bom que quando abríssemos os olhos estivesse perante nós quem desejamos de verdade...

Beijo no teu coração(*)

Nocturno disse...

Memórias à flor da pele.

Beijo

O Profeta disse...

Brilhante!


Solta nota de uma flauta
Um retrato preso à mão
Um tambor fora do compasso
Segue o bater de coração


Convido-te a partilhar as emoções
Deixadas pelos ponteiros de um relógio…


Boa semana


Mágico beijo

Nilson Barcelli disse...

Embora tristonho, o teu poema é muito bom.
Estás a escrever cada vez melhor, continua.

Beijinhos.

Deusa Odoya disse...

oi minha linda amiga, aqui estou de novo.
A saudade é sem pre uma saudade.
muito bonito esse poema.
beijos e um fim de semana com muito amor no seu coração.
sua nova amiga Regina Coeli.