A chuva...

Desconheço autor da foto.



Chove intensamente
As ruas que vejo da minha janela escorrem agua por todos os pedacinhos de chão...
Ninguém passa na rua, nem viva alma...
Parece que tudo parou para ver apenas a chuva...
Nem buzinadelas, nem o barulho das gentes que costumo ouvir ali, no entra e sai do café...
As nuvens cinzentas, pesadas, fazem parecer que o sol hoje não vai brilhar...
E eu aqui quieta, ouvindo e deixando-me levar pela melodia das goteiras...
A vidraça cobre-se de inúmeras gotículas...
Chega-me uma imensa vontade de sair para a rua, descalça, deixar que a chuva acaricie meu corpo, meu rosto...
Ir partilhar com a chuva a melancolia que me abraça...
Ir chorar com ela todos os meus receios...
Ir "entregar-me" à liberdade da chuva...
Cai, corre desenfreadamente no solo, e ninguém ousa perguntar-lhe para onde vai!
Apetece-me hoje fazer o mesmo...
Sair daqui, correr sem destino, e não ter de dizer para onde vou...
Palpo meu rosto, e sinto a dança das lágrimas desinibidas, ousadas, que se soltam dos meus olhos...
Há muito que eles não sentem mais o choro...
Ficaram insensíveis, como se estivessem calejados, choram naturalmente, como hábito os segredos do âmago...
Este grito na voz calada, sufoca...revolta...limita...prende...mobiliza...fustiga lentamente as minhas entranhas!
Ping...Ping...Ping...Ping...Ping...
A chuva acalmou...e lá longe...no horizonte distante as nuvens ganham brancura...Será que...ainda hoje o sol vai brilhar?

8 comentários:

kakauzinha disse...

Doce e querida amiga,

Aqui...
Silenciosamente...
Dou-te a mão...
Um abraço...
Um beijo...

Se eu fosse uma feiticeira...
Só te dava alegrias...
Para nunca te sentires só e triste...
Mas como não sou...
Dou-te a minha amizade.

****:))))

.*.*.K.*.*.

Jasmim disse...

Linda, doce, querida amiga :O)))

É um bem querer mútuo, estonteante, agradavelmente delicioso! ****

Mas todas as dores, todos os sentires melancolicos são "aceitáveis" em mim, ajudam-me a aclarar tanta coisa, ajudam-me a encontrar-me comigo mesma, fustigam, é como se fossem "arrancados" pedacinhos de mim...Mas passam, contornam-se, e depois da tempestade (como se costuma dizer) chega sempre a bonança!

Que venham se tiverem de vir,eu aqui estou, tentando a cada dia superar mais uma ou outra etapa...
E gostando de me sentir sempre um pouco mais forte!

É esta mania que a Vida tem, de nos colocar constantemente à prova!

:O)))) (gosto-te mulher linda!)

Ahhh e obrigado pela amizade, mais que saber, sinto!
******

Andrea disse...

Adoro ler o que escreve :-)

Beijo

Jasmim disse...

Querida andreia...

Deixou-me sem jeito! Não sei se lhe agradeça, sem me sinta "tola"...

Um beijinho em si
:O)*
Jasmim

Excelsior disse...

(...Recordo-me de que, quando era miúdo, amava andar à chuva... E o céu branco, de brancura infinda, mesmo que acinzentada... Eu perdia-me, a passear, a sentir a chuva cair no pano do guarda-chuva, sorrindo, ou só, ou ao lado do meu Pai...)

(...Agora a chuva já me desagrada. O não ver o sol, sufoca-me.)

(...Esta é uma das mudanças em mim que menos entendo, com o eu ter "crescido"...)

Jasmim, adoro o teu sentir. E gosto dele mais ainda, quando imerso em raios de sol.

Beijinho enorme, querida amiga.

Jasmim disse...

Querido excelsior...

Bonito recordar...

A chuva...só a quero se me significar liberdade...só a anseio quando mansamente o choro me consome...

Porque com o sol é que a minha alma voa, é que os meus sonhos fazem sentido, é que o meu âmago sorri...

Um beijo gordo em ti!

***

Um Momento disse...

E li... e senti...
Algo sobre o que é uma das minhas maravilhas pessoais: a Chuva...
Um beijo sentido em ti
(*)

Jasmim disse...

Doce um momento...

:O)) um beijo terno em Ti!